Pontos Turísticos de Paris: 23 principais lugares para visitar

EuropaEuropa OcidentalPontos Turísticos de Paris: 23 principais lugares para visitar
- Propaganda -

A Cidade Luz é sinônimo de arte, de romantismo, de beleza e de glamour que você irá encontrar em cada um dos pontos turísticos de Paris. É cidade mais amada do mundo.

Ao conhecer a cidade, você verá que não é só fama, e que na realidade a cidade vai muito além do que se diz sobre ela.

Com alguns dos melhores museus do mundo, jardins belíssimos, palácios maravilhosos e monumentos inesquecíveis, Paris respira cultura e elegância.

Segue a lista dos mais famosos pontos turísticos de Paris, para que você não perca nada do que a cidade tem a oferecer.

Com mais de 2 mil anos de história, Paris surgiu como um povoado celta, que se instalou na região da Île de la Cité. Na Idade Média, a cidade começou a crescer e a se tornar importante na região, sendo a capital dos francos.

No entanto, foi a partir do Renascimento que a cidade começou a brilhar mais forte. Entre os séculos XVI e XVIII, durante o período do absolutismo, houve um florescimento artístico na região, e a cidade viu nascer um grande número de palácios de luxo e de enorme beleza.

Mais tarde, no século XIX, durante o governo de Napoleão III, a cidade passou por outra grande transformação, assinada pelo Barão Haussmann. Haussmann modernizou a cidade, abrindo grandes avenidas, conhecidas como boulevards, restaurando áreas destruídas e construindo mais uma série de monumentos.

A cidade foi palco de grandes eventos históricos. Uma das cidades mais importantes do mundo, foi em Paris que aconteceu, por exemplo, a Revolução Francesa. Esse evento é tão importante que marcou o início de uma nova era da história mundial, a História Contemporânea.

Testemunhas desse momento histórico são alguns locais da cidade, como a Praça da Bastilha e o Palácio de Versalhes. Já no século XX, outro acontecimento que mudou o mundo teve lugar em Paris: as vanguardas artísticas, que mudaram o transformaram e a cultura de todo o mundo.

De fato, durante o século XX, os maiores artistas de várias partes do mundo vieram para Paris para morar e trabalhar.

Nesse período, a cidade se tornou o centro cultural do mundo, e uma efervescente vida cultural tomou conta de seus cafés, de seus museus, de suas regiões boêmias.

Ainda é possível sentir esse clima ao visitar alguns lugares, como os bairros Montmartre e Quartier Latin, além dos charmosos cafés que estão por toda a cidade.

Mas tudo isso eu vou te contar abaixo. Então, sem mais delongas, porque o texto já está enorme, vamos conhecer os principais pontos turísticos de Paris. 

CLIQUE AQUI e agende os melhores passeios por Paris »

 Free Walking Tour 

Que melhor forma de iniciar sua visita pelos pontos turísticos de Paris do que realizando uma visita com um guia local?

O free walking tour da lhe dará a oportunidade de conhecer as lendas e histórias dos lugares mais simbólicos de Paris. E tudo isso GRÁTIS!

Apesar do free walking tour não possuirem um valor, ao final do tour, é sugerido que dê uma gorjeta ao guia de acordo com o seu grau de contentamento.

Em Paris existem 5 Free Walking Tour, reserve já a sua vaga:

  1. Free tour por Paris
  2. Free tour de mistérios e lendas de Paris
  3. Free tour pelo Quartier Latin
  4. Free tour pelas Passagens Cobertas de Paris e Palácio Real
  5. Free tour pelo Museu do Perfume

 1.  Torre Eiffel

O mais conhecido dos pontos turísticos de Paris: A Torre Eiffel

A Torre Eiffel dispensa apresentações. Não é apenas o maior dos pontos turísticos de Paris, mas também aquele que talvez seja o mais famoso ponto turístico do mundo. Com toda essa importância, nada melhor que começar seu passeio pela Cidade Luz por ela.

A Torre Eiffel fica numa localização privilegiada de Paris, no sétimo arrondissement (Paris é dividida em 20 regiões, que são conhecidas como arrondissements). Fica às margens do Rio Sena, num lindo jardim chamado Campo de Marte.

Essa torre foi inaugurada em 1899, para a Exposição Universal desse ano, que ocorreu na cidade. O idealizador da torre foi Gustave Eiffel, cujo nome imortalizou a torre. Inicialmente, a ideia era demolí-la depois de algum tempo.

Felizmente para os parisienses e para toda a humanidade, desistiram de desmontá-la, e até hoje ela permanece lá. Com o tempo, tornou-se o símbolo por excelência da França, e se transformou num dos maiores monumentos de todo o mundo.

Com toda a importância que a Torre Eiffel possui hoje, é difícil imaginar que, na época de sua construção, ela enfrentou uma onda de revolta. Vários detratores, dentre eles personagens importantes da política e das artes no país, se declararam publicamente contra a construção.

Um dos principais argumentos era que a torre estragaria a paisagem da cidade. No entanto, com seus mais de 300 metros, a Torre Eiffel é hoje o maior símbolo da cidade, e pode ser vista de grande parte dos arredores.

Apesar de seu tamanho, a torre tem um desenho incrivelmente leve e harmonioso. Sua estrutura de treliça de ferro, que parece quase flutuar, confere ainda mais beleza, mais elegância e mais charme para a paisagem parisiense.

Paisagem essa que pode ser vista em quase toda a sua extensão dos mirantes da Torre Eiffel. Sim, do alto da torre tem-se a mais bela vista de Paris. 

Os ingressos para subir na torre variam de €10,40 a €25,90 euros.

CLIQUE AQUI e agende os melhores passeios na Torre Eiffel »

 2.  Museu do Louvre

O museu mais conhecido do mundo e a piramide que entra como um dos pontos turísticos de Paris: O Museu do Louvre
O museu mais conhecido do mundo e a piramide que entra como um dos pontos turísticos de Paris: O Museu do Louvre

Agora vamos atravessar o Rio Sena e conhecer a parte mais famosa da cidade, a que reúne os principais pontos turísticos de Paris: o primeiro arrondissement, também conhecido como região do Louvre. Pelo nome, já dá para saber qual é o principal marco dessa região.

O Museu do Louvre é simplesmente o maior museu de arte do mundo. Em seu acervo, estão várias das mais importantes obras da história da arte.

Não é por acaso que esse museu atrai multidões, sendo considerado o museu mais visitado do mundo. Sua importância é tão grande que já ultrapassou as fronteiras do mundo da arte, tendo se tornado um verdadeiro símbolo cultural, um ícone pop.

Vamos conhecê-lo mais de perto e entender o motivo de tanta importância.

No acervo do Museu do Louvre está exposta praticamente toda a história da arte. Há obras de diversos povos da antiguidade, como mesopotâmios, egípcios, orientais, romanos e, sobretudo, gregos.

A coleção de arte grega é impressionante, e dela faz parte, dentre outras obras, as famosas esculturas Vênus de Milo e Vitória de Samotrácia. A parte mais completa do acervo, é claro, é de arte européia, principalmente a que vai do Renascimento ao século XX.

Obras de grandes artistas, como Rembrandt, Vermeer, Caravaggio e Botticelli estão expostas aqui. Mas a presença mais notável do museu, a que atrai a maior quantidade de apreciadores, é a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, possivelmente a mais famosa obra de arte do mundo.

Aliás, muitos visitantes do museu vão ali só para ver a Mona Lisa com o seu sorriso enigmático.

O difícil é conseguir se aproximar dela: a sala exclusiva onde está essa obra fica sempre tão cheia de gente, que é um desafio conseguir tirar uma foto bem de perto. Mas com certeza vale a pena o esforço.

Visitar a pintura mais famosa do mundo no museu mais famoso do mundo é uma experiência que só Paris pode oferecer.

Mas a fama do Louvre não repousa apenas no acervo. O próprio palácio onde o museu está instalado já valeria uma visita. Essa construção data da Idade Média, e no decorrer de sua longa história passou por várias reformas, ampliações e reconstruções, bem como mudança de função.

Já serviu de fortaleza e de residência dos reis, antes de abrigar o museu, vale lembrar que o Museu do Louvre é um dos mais antigos do mundo, fundado em 1793. Além do palácio, outro marco desse museu é a Pirâmide do Louvre, que fica na entrada principal do museu.

Construída em 1989, de ferro e vidro, a pirâmide do Louvre é uma das atrações mais características do museu, bem como um dos monumentos mais famosos de toda a cidade.

Depois de visitar o museu, que tal uma parada para um café? Bem ali, no Louvre, ficam dois cafés super famosos: o Angelina, no número 226 da Rua Rivoli, famoso pela decoração belle époque, pelos chás e pelos chocolates quentes; e o Le Café Marly, que é anexo ao Museu do Louvre, onde você pode fazer suas refeições com uma vista incrível para a pirâmide do Louvre.

A entrada custa €17 euros.

AGEDE AQUI a excursão detalhada de 3 Horas c/ Entrada Sem Fila no Museu do Louvre »

 3.  Jardim das Tulherias

Jardim das Tulherias | Pontos Turísticos de Paris

Por estar localizado na região mais privilegiada da cidade, no primeiro arrondissement, entre o Museu do Louvre e a Praça da Concórdia, o Jardim das Tulherias é provavelmente o parque público mais visitado de Paris.

Com aproximadamente quatro séculos de história, o Jardim das Tulherias é um grande espaço plano, às margens do Rio Sena. A ideia de cultivar um jardim público em estilo francês nesse espaço surgiu no século XVI.

Ao longo do tempo, no entanto, a região foi mudando de feição, e o jardim passou por várias mudanças, mas permanece com o paisagismo perfeitamente francês, com canteiros geométricos, plantas bem podadas e esculturas.

O jardim em si já é de uma beleza incrível, mas os arredores conferem ainda mais charme e elegância, fazendo das Tulherias um lugar estonteante.

Cercado a leste pelo Louvre, a oeste pela praça da Concórdia, ao sul pelo Rio Sena e ao norte pelos incríveis casarões centenários da Rua de Rivoli, uma das mais bonitas da cidade, as Tulherias é sem dúvida alguma um dos mais bonitos pontos turísticos de Paris.

Quando você estiver nas Tulherias, não deixe de visitar o famoso Museu de L’Orangerie (6,50 euros), um dos museus mais famosos da cidade, especializado em arte impressionista.

O maior destaque desse museu é a obra As Ninfeias, de Monet, que ocupa as paredes de uma sala inteira do museu.

Na região das Tulherias, há uma grande quantidade de restaurantes e cafés, alguns com mesinhas ao ar livre.

Além do Angelina, há outros na Rua Rivoli, que margeia as Tulherias ao norte. Dentro do jardim há algumas opções, como o Café des Marroniers e o La Terrasse des Pommes, com mesas ao ar livre.

Esses estabelecimentos, no entanto, são um tanto quanto… caros. Quer fazer uma refeição ao ar livre nas Tulherias sem gastar uma fortuna?

Você pode comprar a comida e a bebida em um mercado e fazer um piquenique nos gramados. Um programa super parisiense!

AGEDE AQUI a Excursão de Segway pelos Destaques da Cidade »

 4.  Praça da Concórdia

A Praça da Concórdia foi um lugar de grandes momentos históricos | Foto: Wikimedia Commons.
A Praça da Concórdia foi um lugar de grandes momentos históricos | Foto: Wikimedia Commons.

Localizada entre o Jardim das Tulherias e a Avenida Champs-Élysées, a Praça da Concórdia é a maior e mais importante de Paris. Foi criada em meados do século XVIII, e desde então foi palco de diversos acontecimentos.

Os mais famosos ocorreram durante a Revolução Francesa: no fim do século XVIII, uma guilhotina foi instalada na praça, e aqui foram executadas diversas pessoas.

Dentre elas, a família real da época e algumas outras personagens históricas. Mas calma, atualmente a praça nem de longe lembra esse passado assustador.

O principal monumento da Praça da Concórdia é o grande obelisco, que foi colocado na praça por volta de 1836.

Esse enorme obelisco, que pode ser visto de boa parte da região circundante, é do Egito Antigo, e possui aproximadamente 3 milênios de idade.

Originalmente, o obelisco fazia parte de um templo antigo egípcio, mas o governo do Egito ofereceu-o de presente à França.

Ladeando o obelisco, há duas fontes: a Fontaine des Fleuves, ao norte, e a Fontaine des Mers, ao sul, ambas de grande beleza e importância artística.

Dos edifícios que cercam a praça, um se destaca. É o Hotel Crillon, um dos hotéis mais tradicionais e refinados de Paris.

O hotel possui um restaurante célebre, muito frequentado por turistas e moradores.

A fachada do hotel é uma das mais bonitas dessa região da cidade, por isso vale a pena dar uma conferida.

AGEDE AQUI o Ônibus Hop-On Hop-Off Clássico e Passeio de Barco »

 5.  Champs Elysées

Dos pontos turísticos de Paris que você mais irá gastar: Champs Elysées

A Champs-Élysées provavelmente disputa com a Quinta Avenida de Nova York o título de avenida mais famosa do mundo. No quesito beleza, a Champs-Élysées supera facilmente sua rival novaiorquina.

Muitos consideram a Champs-Élysées a avenida mais bonita do mundo.

Essa importante avenida possui aproximadamente dois quilômetros de extensão, lindamente bem distribuídos no trajeto que vai da Praça da Concórdia até a Praça Charles de Gaulle, que é onde fica o Arco do Triunfo.

A paisagem da avenida Champs-Élysées é por demais conhecida: a pista, que segue até o Arco do Triunfo, cercada de árvores podadas.

Essa imagem é real e de fato muito bonita, mas esconde o que essa avenida tem para oferecer. Por exemplo, as lojas.

Se você quer fazer compras na Cidade Luz, ou se quer apenas passar vontade, contemplando as vitrines, a Champs-Élysées é o lugar certo.

Localizada no oitavo arrondissement, uma das regiões mais finas de Paris, essa avenida concentra uma grande quantidade de lojas de grifes famosas. Se você não quer fazer compras, e sim almoçar ou jantar, aqui também é o lugar certo.

Com diversos restaurantes sofisticados, a Champs-Élysées e arredores é um dos principais polos gastronômicos da cidade. Se você não quer nem fazer compras e nem jantar, e sim simplesmente caminhar pela cidade, a Champs-Élysées também é o lugar certo.

Com paisagens belíssimas, cercada de construções super charmosas, essa avenida é um dos lugares mais propícios de Paris para fazer uma caminhada, para andar despreocupadamente, apreciando cada detalhe.

Leve a câmera para registrar, pois essa região é uma das mais fotogênicas da cidade.

 6.  Arco do Triunfo

Arco do Triunfo

O Arco do Triunfo é outro dos mundialmente famosos pontos turísticos de Paris, e não pode ficar de fora de seu passeio.

Localiza-se ao fim da Avenida Champs-Élysées, na praça Charles de Gaulle, que é o ponto de cruzamento de uma série de importantes avenidas da cidade. 

O Arco do Triunfo foi construído nas primeiras décadas do século XIX. Começou a ser construído durante o governo de Napoleão Bonaparte, mas foi concluído somente em 1836, quinze anos após a sua morte.

O monumento foi construído para homenagear o exército francês, que havia vencido importantes batalhas, como a de Austerlitz, em 1805, sob o comando de Napoleão.

Além de homenagear o exército francês, o Arco do Triunfo também foi construído com o intuito de servir de entrada da cidade, uma espécie de porta de entrada triunfal. Na época, a cidade terminava aqui, no fim da Champs-Élysées.

Inspirado nos arcos triunfais comuns no Império Romano, o Arco do Triunfo de Paris possui uma grande influência da arquitetura greco-romana.

As esculturas e relevos que adornam o Arco do Triunfo são belíssimas. Com 50 metros de altura, o Arco do Triunfo domina a paisagem da região.

Do alto do arco, tem-se uma das mais belas vistas de Paris, com a Champs-Élysées e o primeiro arrondissement em primeiro plano.

A entrada custa €12 euros. Metrô: linha 1, estação George V.

CLIQUE AQUI e visite mais de 60 dos principais museus e monumentos em Paris com o prático e econômico Paris Museum Pass »

 7.  Grand Palais e Petit Palais

Grand Palais

Grand Palais | Lista dos principais pontos turísticos de Paris
Grand Palais | Lista dos principais pontos turísticos de Paris

Localizado nas proximidades da Avenida Champs-Élysées, bem pertinho da Praça da Concórdia, o Grand Palais é, como o nome já diz, um enorme palácio em estilo art nouveau, construído no fim do século XIX.

Foi construído para realizar exposições de arte, mas essa função se alargou e, depois de algum tempo, passou a sediar exposições dos mais diversos tipos, até mesmo de produtos industriais.

O Grand Palais, que é um dos mais belos pontos turísticos de Paris, tem uma construção bastante curiosa.

A fachada é gigantesca, e com formas bem pesadas, mas o interior apresenta um contraste: possui um maravilhoso telhado de vidro, como uma estufa. Nessa sala principal, o que mais espanta é o tamanho: o telhado de vidro fica a uma altura de 45 metros.

Atualmente, o Grand Palais recebe exposições de pintura, fotografia, história e demais temas.

Na frente do Grand Palais, e construído na mesma época que este, fica o Petit Palais. O Petit Palais tem semelhanças com o Grand Palais, mas é menor, como o nome também indica.

Petit Palais

Petit Palais | Lista dos principais pontos turísticos de Paris
Petit Palais | Lista dos principais pontos turísticos de Paris

Mas a fachada do Petit é ainda mais bonita: aqui o estilo art nouveau se mostra em toda a sua riqueza de detalhes.

A porta principal é rodeada de um excesso de colunas e arcos, numa exuberância de detalhes que chama a atenção de qualquer um. O Petit Palais é a sede do Museu de Belas Artes, um dos museus de arte mais completos e interessantes de Paris.

A entrada no Grand Palais varia de acordo com a exposição. O calendário de exposições pode ser visto no site. A entrada no Petit Palais e seu museu é gratuita.

 8.  Hotel dos Inválidos

Hôtel des Invalides | Lista dos principais pontos turísticos de Paris
Hôtel des Invalides | Lista dos principais pontos turísticos de Paris

O Hotel dos Inválidos é um enorme palácio, cujas dimensões e cujo luxo deixa qualquer um de boca aberta.

O palácio foi construído durante o governo de Luís XIV, no século XVII, e segue o estilo clássico, típico da época.

Por incrível que pareça, esse palácio foi construído para servir de residência aos oficiais do exército que ficaram inválidos durante as guerras, daí deriva o seu nome.

Atualmente, o Hotel dos Inválidos possui várias funções. Abriga várias exposições, dentre elas o Musée de L’Armée (Museu do Exército).

Considerado um dos museus militares mais completos do mundo, aqui você poderá conferir um pouco da história da França. Com inúmeros objetos militares, como uniformes, armas, bandeiras, dentre outros, um passeio por esse museu é como regressar no tempo.

Da antiguidade ao século XX, passando pelo período das guerras napoleônicas, quase tudo sobre a história militar da França está exposto aqui.

Mas talvez o ponto central do Hotel dos Inválidos seja a sua imensa cúpula, com aproximadamente 100 metros de altura, e que pode ser vista de grande parte dessa região da cidade.

A cúpula já chama a atenção por fora, e não é para menos: no interior dela, está localizado um dos principais símbolos de toda a França.

Trata-se da tumba de Napoleão, um grande sarcófago de madeira, que repousa no luxuoso salão da cúpula, e que contém os restos mortais do inesquecível imperador.

Visita obrigatória, esse salão da cúpula é um dos maiores pontos turísticos de Paris.Do lado de fora, o Hotel dos Inválidos é cercado por uma grande esplanada, onde estão plantados belíssimos jardins.

Com enormes gramados, a Esplanada dos Inválidos é o lugar perfeito para sentar um pouquinho e descansar, principalmente num dia ensolarado.

Da esplanada, o Hotel dos Inválidos se mostra em toda a sua majestade, portanto, capriche nas fotos. Seguindo a esplanada, chega-se ao Rio Sena e à ponte Alexandre III, que liga os Inválidos com a margem norte.

Nas proximidades do Hotel dos Inválidos ficam alguns pontos que merecem uma visita. Bem do lado do Hotel fica o Museu Rodin, dedicado à obra desse famoso escultor.

Também perto do Hotel, fica o Palácio Bourbon, uma linda construção em estilo greco-romano que atualmente abriga a Assembleia Nacional.

A entrada custa €14 euros.

 9.  Museu D’Orsay

Museu D’Orsay | Lista dos principais pontos turísticos de Paris
Museu D’Orsay | Lista dos principais pontos turísticos de Paris

Ainda no sétimo arrondissement, fica um dos mais famosos museus da cidade, e um dos mais visitados pontos turísticos de Paris.

O Museu D’Orsay tem, em seu acervo, obras de arte da segunda metade do século XIX até a Primeira Guerra Mundial. Representa, assim, os movimentos que surgiram nesse período, como o impressionismo e o pós impressionismo, o expressionismo e as primeiras vanguardas do modernismo.

Dentre tantos outros, no acervo do museu estão importantes obras de artistas como Monet, Renoir, Van Gogh e Munch.

É um museu relativamente recente, tendo sido fundado em 1986, mas desde então se transformou no segundo museu mais famoso de Paris, perdendo apenas para o Louvre.

O prédio do Museu D’Orsay por si só já valeria uma visita. A grande construção foi, inicialmente, uma estação ferroviária.

Os salões principais são cobertos por um telhado de vidro, que confere ainda mais beleza ao acervo.

Do lado de fora, o Museu D’Orsay tem uma fachada muito bonita, que fica ainda mais bonita por causa do Rio Sena, que passa logo em frente.

Boulevard Saint Germain

Pertinho do Museu D’Orsay fica o Boulevard Saint Germain, que passa perto do Jardim do Luxemburgo, nossa próxima parada. É no Boulevard Saint Germain que fica o Café de Flore, um dos mais afamados da capital francesa.

Esse café, que já virou filme, era frequentado por filósofos, como Sartre e Simone de Beauvoir, e artistas, como alguns dos pintores surrealistas.

Outro importante café que fica nesse boulevard é o Café Les Deux Magots, que também está entre os estabelecimentos mais interessantes de Paris.

No Les Deux Magots, você se sentirá no mais típico estilo parisiense, e poderá tomar um delicioso café sentado ao ar livre, enquanto contempla a bela paisagem circundante.)

A entrada ao Museu D’Orsay custa €14 euros.

 10.  Jardim de Luxemburgo

Jardim de Luxemburgo

O Jardim de Luxemburgo é um dos mais famosos, mais antigos e mais visitados parques de Paris. O jardim e o Palácio do Luxemburgo (que fica na parte norte do jardim) foram construídos pela rainha Maria de Médicis, que queria um lugar tranquilo para fugir do movimento da região do Louvre, onde ela então morava.

Na época, o sexto arrondissement, onde fica o Jardim do Luxemburgo, era um subúrbio tranquilo, com poucas habitações. Hoje, no entanto, é uma das regiões mais movimentadas e mais turísticas da capital francesa.

O jardim e o palácio do Luxemburgo passaram, ao longo dos séculos, por sucessivas transformações. Atualmente, o Palácio é a sede do Senado da França, e o jardim pertence a ele.

A princípio, esse jardim foi criado inspirado nos jardins italianos. Houveram muitas mudanças no projeto paisagístico, mas um pouco da inspiração inicial permanece visível.

Na área central, na frente do palácio, há um amplo espaço gramado, de forma geométrica. No centro desse gramado, há uma linda fonte, e uma grande quantidade de estátuas está disposta por essa parte.

Essa é uma das paisagens mais fotogênicas de Paris.

Além do palácio e desse jardim central, o Jardim do Luxemburgo tem outras atrações. Nas partes laterais, há bosques e outros jardins, ideais para uma caminhada. Há atrações para crianças, como as marionetes e parquinhos. 

Mas talvez o ponto mais famoso desse jardim seja a Fonte de Médicis. Trata-se de uma lindíssima fonte, construída em 1630, pela rainha Maria. A fonte possui belas estatuetas, representando deuses da mitologia grega.

Na frente da fonte, há um longo espelho d’água, que reflete perfeitamente a sombra das lindas árvores plantadas ao redor. Um dos locais mais românticos de Paris, a Fonte de Médicis é um daqueles lugares que você nunca mais vai esquecer.

O Jardim do Luxemburgo é um dos maiores pontos turísticos de Paris, mas é também um dos principais pontos de encontro dos parisienses. Isso faz com que o jardim esteja sempre cheio de turistas, mas também de moradores.

Por ficar ao lado de um dos campus da famosa universidade Sorbonne, o Jardim do Luxemburgo é muito frequentado por estudantes.

Mas nem todo esse movimento consegue diminuir o encanto e a paz que o jardim oferece. Visita mais que obrigatória.

 11.  Panteão e Quartier Latin

Panteão

Pertinho do Jardim do Luxemburgo, mas já no Quartier Latin, uma das regiões mais badaladas da cidade, o Panteão é outro dos pontos turísticos de Paris que não podem ficar de fora do seu roteiro.

Essa grandiosa construção foi, inicialmente, uma igreja, a Igreja de Santa Genoveva, construída em 1758. De estilo neoclássico, inspirado nos templos gregos, o Panteão possui uma arquitetura um tanto incomum para uma igreja católica.

Possui um pórtico muito bonito, com grandes colunas, e uma cúpula com mais de oitenta metros de altura, que se destaca na paisagem da região. O interior possui uma decoração maravilhosa, com pinturas de alguns dos maiores nomes da arte francesa.

Com o tempo, a Igreja de Santa Genoveva começou a servir de local de homenagem para heróis civis e personagens importantes da história da França.

Em sua cripta, estão enterrados os restos mortais de grandes personagens da política, das artes, da filosofia e das ciências francesas. 

O Panteão fica no Quartier Latin, uma das regiões mais movimentadas de Paris. Se o vizinho sexto arrondissement, onde fica o Jardim de Luxemburgo, é uma região aristocrática e luxuosa, o Quartier Latin faz um belo contraponto: é um bairro bem descolado, muito frequentado pelos estudantes das universidades da região.

Com uma vida noturna agitada e uma vida cultural intensa, o Quartier Latin é uma das regiões mais agradáveis de Paris. E uma das mais baratas também.

Depois de conhecer o Panteão, nada melhor que dar uma voltinha pelas ruas estreitas e labirínticas do Quartier Latin, e curtir alguns momentos nos cafés e restaurantes do bairro.

Os cafés mais famosos

O Columbus & Co., na rua Soufflot, que liga o Jardim do Luxemburgo ao Panteão.

O Jozi Café, na Rua Valette, um pouco ao norte do Panteão.

E o aconchegante Strada Café, na Rua Monge, bem pertinho da Sorbonne.

Não deixe também de visitar as charmosas livrarias Shakespeare & Company, na Rua de La Brucherie, pertinho do Rio Sena, e a Abbey Bookshop, na Rua Parcheminerie.

A entrada custa €11,50 euros.

CLIQUE AQUI e desfrute de uma refeição no Hard Rock Cafe de Paris Sem Fila »

 12.  Catedral de Notre Dame

Catedral de Notre Dame

O Quartier Latin fica bem pertinho de outra das regiões mais importantes de Paris: a Île de La Cité. Essa pequena ilha no Rio Sena é a parte mais antiga da cidade, sendo o local onde Paris nasceu.

Não é por acaso que, em sua pequena extensão, estejam alguns dos monumentos mais importantes e mais antigos da cidade.

O mais famoso deles, sem dúvida, é a Catedral de Notre Dame. Essa é provavelmente a igreja mais famosa do mundo, e um dos maiores cartões postais da cidade.

Considerada um dos maiores pontos turísticos de Paris, Notre Dame se tornou um símbolo mundial, tendo aparecido em diversos filmes, livros e pinturas.

A construção de Notre Dame iniciou no século XII, e continuou pelos séculos seguintes.

É o exemplo mais famoso da arquitetura gótica em toda a Europa, e aqui são visíveis as principais características desse estilo: o desenho verticalizado, com traços que apontam para o alto, os vitrais, o teto com ogivas e abóbadas e o excesso de ornamentos, como por exemplos as gárgulas, que ficaram famosas na Catedral de Notre Dame.

No dia 15 de abril de 2019, a Catedral de Notre Dame foi atingida por um forte incêndio, que causou danos importantes em partes da estrutura, principalmente no teto.

O acontecimento causou comoção mundial, e rapidamente arrecadou-se o dinheiro suficiente para a restauração da catedral. Desde então, Notre Dame está fechada para reformas, não sendo possível visitar seu interior.

Esperamos que a restauração seja bem sucedida e que, em breve, a catedral volte a exibir toda a sua beleza intacta.

Mas, como você não pode ir a Paris sem visitar Notre Dame, vale a pena ir até a Île de la Cité para apreciar a catedral por fora. 

Mais pontos turístico na Île de la Cité

Além de Notre Dame, há outros locais interessantes na Île de la Cité. Bem pertinho da catedral, fica a impressionante Sainte Chapelle, sobre a qual eu vou falar mais em seguida.

Do lado da Sainte Chapelle, fica a Conciergerie, uma enorme construção medieval que serviu de sede do governo medieval, tendo mais tarde sido transformada em prisão.

Foi na Conciergerie que os inimigos da Revolução Francesa ficaram presos, antes de serem guilhotinados. Outro ponto importante da Île de la Cité é a Place Dauphine, uma das praças mais bonitas de Paris.

Quase secreta, essa praça é cercada por belos casarões centenários, formando um dos cenários mais charmosos da cidade.

Pertinho da Place Dauphine, fica a Ponte Neuf, que liga a Île de la Cité tanto à margem esquerda quanto à margem direita do Sena. A Ponte Neuf é uma das mais belas e românticas de Paris, sendo a mais antiga ainda existente. 

Ao lado da Île de la Cité fica a Île Saint Louis, que não possui pontos tão interessantes quanto a primeira, mas também merece uma visita.

Na Ilha Saint Louis você encontra belas construções e ruas super aconchegantes, e uma grande quantidade de restaurantes excelentes.

Metrô: linha 4, estação Cité.

CLIQUE AQUI e agende uma excursão Notre-Dame, Île de la Cité e Igreja Saint-Séverin»

 13.  Sainte Chapelle

Sainte Chapelle

Se a Catedral de Notre Dame é um espetáculo na parte de fora, para conhecer a beleza da sua vizinha Sainte Chapelle é necessário conhecer o interior.

Sainte Chapelle é uma igreja relativamente pequena, que fica a alguns metros da Notre Dame.

Foi construída em pouquíssimo tempo, de 1241 a 1246 (para se ter uma ideia, vale a pena lembrar que sua vizinha Notre Dame demorou aproximadamente dois séculos para ficar pronta).

Foi construída para abrigar relíquias importantes do cristianismo, na intenção de transformar Paris na capital do cristianismo.

A principal característica da Sainte Chapelle é que sua nave principal, de arquitetura gótica, possui uma riqueza gigantesca de vitrais. Você nunca viu tanto vitral assim.

A estrutura da Sainte Chapelle é muito leve, sendo composta de colunas finas, totalmente recobertas pelos vitrais. O resultado, claro, é de tirar o fôlego: a luz do sol passa pelos vidros multicoloridos formando um jogo de luzes e cores inesquecíveis.

Se o efeito imediato é fabuloso, os mais curiosos poderão ficar um longo tempo decifrando os desenhos que os vitrais representam.

Essas verdadeiras pinturas em vidro contam a história de Jesus e de outros personagens ligados ao cristianismo, e são consideradas obras primas inimitáveis.

Por incrível que pareça, uma igreja tão delicada, cuja estrutura é composta basicamente por vidros e colunas finas, sobreviveu séculos sem ter sido danificada.

Ao longo de seus quase oitocentos anos, não foram poucos os acontecimentos violentos que aconteceram em seus arredores.

No entanto, os vitrais da Sainte Chapelle não sofreram nenhuma deterioração significativa ao longo do tempo. Leve sua câmera para tirar fotos surreais!

A entrada custa €10 euros.

 14.  Praça da Bastilha

Um dos locais históricos mais importantes da cidade, a Praça da Bastilha é um dos mais interessantes pontos turísticos de Paris.

Nesta praça ficava uma antiga prisão, conhecida como Bastilha. No fim do século XVIII, a maioria da população francesa estava cada vez mais insatisfeita com a monarquia absolutista, que há séculos se instalara na França.

Em 14 de julho de 1789, uma multidão revoltada contra esse tipo de governo invadiu a Bastilha, considerada um símbolo da repressão do absolutismo, e soltou seus prisioneiros, num episódio que ficou conhecido como a Queda da Bastilha.

Esse episódio se tornou o principal marco da Revolução Francesa, e até hoje o dia 14 de julho é feriado nacional.

A Praça da Bastilha é o local onde esse grande acontecimento histórico ocorreu. A Bastilha, a antiga prisão, não existe mais.

Hoje, essa é uma das praças mais importantes da cidade, não só pela história, mas também por sua localização, pertinho da Île de la Cité.

Seu principal marco é a Coluna de Julho, um enorme obelisco que domina toda a paisagem circundante. 

Metrô: linha 5, estação Bréguet-Sabin.

 15.  Canal Saint-Martin

Canal Saint-Martin

Não é só Veneza e Amsterdam que tem canais, em Paris também há um: o Canal Saint-Martin.

Apesar de ser apenas um, já é o suficiente, pois ele tem 4 quilômetros de extensão.

O canal atravessa uma boa parte da região norte da cidade, mas uma de suas partes mais visitadas é a que fica perto da Praça da Bastilha.

O Canal Saint Martin é um dos mais agradáveis pontos turísticos de Paris. Não é à toa que ele atrai uma grande quantidade de turistas e também de moradores.

Lugar tranquilo e bucólico, às margens do canal é um dos melhores lugares para fazer um passeio despreocupado pela cidade.

Ao longo de toda a sua extensão, ele é cercado por belas construções e por muitas árvores.

É comum ver pessoas sentadas nas margens, conversando, comendo alguma coisa ou só apreciando as águas calmas do canal.

CLIQUE AQUI e agende um adorável cruzeiro pelo Canal Saint-Martin e pelo rio Sena em Paris »

 16.  Centro Georges Pompidou

Centro Georges Pompidou

O Centro Georges Pompidou é um centro cultural que abriga o principal museu de arte moderna e contemporânea de Paris.

Sua construção foi promovida pelo presidente Georges Pompidou, e foi inaugurada em 1977, alguns anos após o fim do mandato deste presidente.

Desde então, é considerado uma das principais instituições culturais da França, e possui um acervo muito importante dentro da arte contemporânea.

No Museu de Arte Moderna, que faz parte do Centro Georges Pompidou, estão reunidas obras dos maiores pintores do século XX, pertencentes aos mais diversos movimentos vanguardistas: surrealismo, cubismo, abstracionismo etc.

Além de arte moderna, há também um importante acervo de arte contemporânea, que reúne as melhores obras dos melhores artistas que surgiram a partir da segunda metade do século XX.

O Centro Georges Pompidou é um dos mais visitados pontos turísticos de Paris, e é muito interessante a visita. Aqui você verá que Paris vive de passado sim, mas também é uma cidade muito moderna.

Isso é perfeitamente visível na revolucionária arquitetura desse centro, de autoria do arquiteto Renzo Piano, em que os materiais da estrutura ficam aparentes.

A entrada custa €14 euros. Metrô: linha 11, estação Rambuteau.

 17.  Praça Vendôme

A Praça Vendôme é uma das mais belas de Paris. É cercada por majestosos edifícios do século XVIII, todos muito semelhantes uns aos outros.

No centro da praça, fica a Coluna Vendôme, um obelisco de 1810, que chama a atenção de longe, por causa de sua altura.

A Praça Vendôme é, hoje, um dos recantos mais luxuosos de Paris. Ao seu redor, estão instaladas inúmeras lojas de luxo, que vendem os mais diversos objetos das mais diversas grifes. No entanto, o forte da região são as joias.

Algumas das mais famosas joalherias de Paris estão localizadas aqui. Portanto, nem que seja para apreciar as vitrines, vale a pena dar uma voltinha por aqui.

E, é claro, vale ainda mais pela arquitetura deslumbrante da região. As ruas do entorno são igualmente belas, e abrigam ótimos restaurantes.

 18.  Ópera Garnier

Ópera Garnier

A Ópera Garnier, ou Palácio Garnier, é a mais famosa casa de espetáculos da cidade, e é amplamente considerada um dos mais luxuosos pontos turísticos de Paris.

Criada para apresentar espetáculos de balé e ópera, o Palácio Garnier foi construído na segunda metade do século XIX, durante a modernização de Paris feita por Haussmann.

O idealizador dessa casa de espetáculos foi Charles Garnier. Com a intenção de transformar a Ópera num templo das artes, onde a música e a dança se harmonizassem com a arquitetura, a escultura e a pintura, Charles Garnier não economizou nos detalhes.

Já de fora, a Ópera já deslumbra os visitantes. Com uma fachada solene, a Ópera é um dos mais belos edifícios da cidade.

O interior não decepciona e não fica atrás: com belas escadarias e lustres incríveis, os corredores e as salas da Ópera apresentam uma decoração primorosa, feito com o que de mais belo havia na época.

Ponto alto da Ópera, o auditório principal é um dos mais bonitos do mundo.

Possui uma ornamentação majestosa, feita com materiais preciosos, como mármore, e relevos, entalhes e pinturas maravilhosos.

A Ópera Garnier é sem dúvida alguma um dos mais belos pontos turísticos de Paris. Para conhecê-la, você pode optar por assistir a um espetáculo.

A temporada de espetáculos é longa e encontra- se no site abaixo. Outra opção é fazer uma visita guiada, que é mais acessível e também muito interessante.

A visita custa a partir de €12 euros. Metrô: linha 3, 7 e 8, estação Ópera.

CLIQUE AQUI e agende um tour pela Ópera Garnier com Guia Especializado »

 19.  Montmartre

Montmartre

Quando se fala em Paris, uma das primeiras coisas em que se pensa é em arte. De fato, no século passado, Paris foi a capital mundial das artes. Havia, na cidade, uma intensa vida cultural e, como consequência, uma vida noturna muito agitada.

E, dentre todos os locais da cidade, o palco por excelência dessa vida artística e boêmia foi esse bairro aqui, o Montmartre.

Montmartre é um dos mais belos, mais turísticos e mais boêmios bairros de Paris. Localizado numa colina, na região norte da cidade, o bairro reúne um conjunto arquitetônico incrível, além de bares, restaurantes e demais pontos de interesse. 

Um dos pontos mais interessantes de Montmartre é o Moulin Rouge (Moinho Vermelho), um cabaré centenário que acabou tendo muita importância na vida artística parisiense.

No início, Montmartre era uma região rural, nos arredores de Paris, onde haviam diversos moinhos para moer grãos. Com o crescimento urbano, Montmartre acabou se tornando parte da cidade.

Moulin Rouge

E o Moulin Rouge foi preservado, tendo sido tornado mais tarde um cabaré. Sim, um cabaré que funciona num moinho! Dentre os frequentadores assíduos do Moulin Rouge estavam os pintores Renoir e Toulouse Lautrec.

Este último, inclusive, retratou o cabaré em uma série de obras famosas. Dentre os músicos que já se apresentaram aqui, estão Frank Sinatra e Edith Piaf. Por tudo isso, o Moulin Rouge é uma das mais incríveis atrações de Montmartre.

Montmartre já foi cenário de vários filmes

O filme O Fabuloso Destino Amélie Poulain, que conquistou uma multidão de fãs ao redor do mundo, tem o Montmartre como seu principal cenário.

O famoso café que aparece no filme se chama Café des 2 Moulins, e fica na Rua Lepic, pertinho do Moulin Rouge.

O Café des 2 Moulins, que já era um dos cafés mais tradicionais e mais famosos de Paris, se tornou um sucesso após o filme, tendo sido carinhosamente apelidado de Café de Amélie Poulain.

Atualmente, é muito frequentado por fãs do filme, que vão até o local experimentar o creme brulée do qual Amélie tanto gostava. Para quem é fã desse filme, visitar esse café é imperdível.

Outro dos locais mais interessantes do Montmartre é a Place du Tertre, a parte mais movimentada do bairro.

Essa praça é linda e muito aconchegante, sendo um dos locais mais visitados do bairro. Há muitos artistas de rua e, ao redor, muitos cafés e restaurantes.

Por ser uma região boêmia, essa praça reuniu diversos artistas em outros tempos. Van Gogh e Picasso, por exemplo, eram transeuntes frequentes dessa praça.

Metrô: linha 2, estações Anvers (para Sacré Coeur) ou Blanche (para Moulin Rouge).

 20.  Basílica do Sacré Couer

Sacré Couer

O ponto mais visitado de Montmartre, no entanto, é a Basílica do Sacré Coeur. Considerado um dos maiores pontos turísticos de Paris, a Sacré Coeur chama a atenção ao longe, com suas cúpulas brancas, que ultrapassam os 80 metros de altura.

Construída em estilo bizantino, no fim do século XIX e início do XX, a Sacré Coeur é a segunda igreja mais famosa de Paris (só perdendo para Notre Dame) e uma das mais bonitas.

A basílica possui o formato de cruz grega, e em seu interior exibe uma estrutura gigantesca, repleta de arcos, colunas e da grande abóbada sob a cúpula.

A decoração é maravilhosa, com pinturas sacras de grande valor artístico.

Por estar localizada no alto da colina de Montmartre, da torre da Sacré Coeur tem-se uma das mais bonitas vistas de Paris.

Quase tão famosa quanto a igreja, é a escadaria que tem na frente. Com quase 200 degraus, subi-la pode ser um desafio.

No entanto, a vista lá do alto recompensa qualquer esforço. Mas, se a preguiça bater, há um funicular que faz o trajeto.

A entrada é gratuita.

CLIQUE AQUI e agende uma Excursão Sacré-Cœur e Montmartre c/ Guia Especializado »

 21.  Parque Buttes Chaumont

Buttes Chaumont

O Buttes Chaumont não é tão conhecido como outros parques, como o Jardim das Tulherias e o Jardim do Luxemburgo.

Isso, no entanto, é uma injustiça porque, como você vai ver, o Buttes Chaumont é tão bonito quanto esses outros parques.

O mais interessante do Buttes Chaumount é que ele faz um contraste com alguns dos outros parques de Paris. Aqui, você não verá planícies cheias de canteiros geométricos, nem esculturas espalhadas ordenadamente pelo parque.

Pelo contrário, o Buttes Chaumount fica numa região acidentada, e é cheio de colinas e paredes de pedra. Antigamente, funcionava aqui uma pedreira, e a região chegou a ficar completamente devastada.

O parque surgiu com o intuito de restaurar essa parte da cidade e, olha, deu muito certo! Bosques, lagos e gramados ocupam a maior parte do parque.

Com muitas trilhas, o lugar é ideal para caminhadas e para a prática de exercícios físicos. 

Por ser uma região acidentada, é de se supor que aqui tenha algum mirante. E a resposta é sim: há uma rocha nas margens do lago, com aproximadamente 30 metros de altura.

No topo dessa rocha, foi construído um coreto em estilo de templo grego. Desse coreto, a vista é de tirar o fôlego: de um lado, o parque e o lago, do outro, uma vista linda do bairro de Montmartre.

Você pode chegar aqui de Metrô: linha 7B, estação Buttes Chaumont.

 22.  Rio Sena

Rio Sena

Claro que o Rio Sena não pode ficar de fora da lista dos principais pontos turísticos de Paris. Um dos rios mais famosos do mundo, responsável por grande parte da beleza e do romantismo da Cidade Luz, merece uma visita mais atenta.

O Sena é inseparável de Paris. Impossível imaginar essa cidade sem ele. Ele atravessa toda a cidade, de leste a oeste, e concentra, em suas margens, a maior parte dos pontos turísticos de Paris.

Em dias ensolarados, é comum ver pessoas paradas nas pontes, contemplando as águas. Ou, mais comum ainda, parisienses despreocupadamente deitados nas margens do rio, pegando um sol. O Sena é a praia de Paris.

Mas como você é esperto, você não vai se contentar em ficar apenas vendo o rio sobre pontes. A melhor forma de aproveitar todo o encanto do Sena é fazer um passeio de barco por ele.

Esse é, sem dúvida, o programa mais romântico de Paris, e a partir do barco você terá um ângulo completamente diferente da maioria dos pontos turísticos de Paris.

Com paisagens inesquecíveis, o passeio de barco pelo Sena é uma daquelas atividades imperdíveis.

CLIQUE AQUI e agende um Passeio de Barco de 2 Horas no Rio Sena com Almoço »

 23.  Versalhes

Versalhes

Poucos lugares no mundo podem disputar com Versalhes no quesito luxo. Residência dos reis da França, e símbolo máximo da monarquia absolutista, o Palácio de Versalhes testemunha o poder e o luxo da França na época.

Considerado o maior e mais luxuoso palácio da Europa e do mundo, Versalhes se tornou um símbolo de bom gosto em arquitetura, arte e paisagismo, tendo influenciado grande parte dos reinos europeus da época.

O Palácio de Versalhes foi construído por Luís XIV, que para lá se mudou em 1682. A ideia era construir um palácio sofisticado e de grandes dimensões, mas a ideia acabou passando dos limites. Exagero é a palavra chave de Versalhes.

Tem 60 mil metros quadrados de área construída, divididos entre aproximadamente 2.300 cômodos.

É um palácio que não acaba mais. Além disso, possui um jardim gigantesco, que é praticamente impossível percorrer em toda a sua extensão.

Soma-se a isso o fato de que, em todo o palácio, há uma decoração luxuosa, composta de ouro, pedras preciosas, materiais finos, lustres gigantescos e obras de arte, e você terá uma noção do que é Versalhes.

Enquanto Luis XIV e seus sucessores, Luís XV e Luís XVI viviam uma vida de tanto luxo, e gastavam fortunas em guerras, a população francesa se afundava na miséria.

Essa foi uma das causas para a Revolução Francesa, em que a população se rebelou contra o absolutismo e depôs (leia-se guilhotinou) Luís XVI, o rei da época.

Mas, voltando ao Palácio de Versalhes, vou te dizer o que visitar por lá. Lógico que, sendo tão grande assim, você não vai visitar tudo. É impossível.

Apenas algumas partes do palácio são abertas à visitação, e a parte mais importante, a que você não pode esquecer por nada, é a Sala dos Espelhos.

Essa sala é o cômodo onde aconteciam as festas, e é aqui que você verá a parte mais impressionante da decoração de Versalhes.

No mais belo estilo barroco, a sala possui, como o nome já diz, muitos espelhos, mas também inúmeros lustres e um teto lindamente pintado.

Outras partes do palácio que você deve visitar são os aposentos dos reis e a capela.

Tão famosos quanto o Palácio de Versalhes, são os Jardins de Versalhes. Obra-prima do paisagismo francês, os jardins de Versalhes possuem infindáveis canteiros geométricos, com diversas espécies de plantas.

Fontes e esculturas completam o cenário. Vale a pena conhecer pelo menos a parte dos jardins mais próxima do palácio. Certamente, esse é um dos jardins mais impressionantes do mundo. 

A má notícia é que Versalhes não fica na cidade de Paris. A boa notícia é que fica a apenas 25 quilômetros de distância.

Chegar em Versalhes, portanto, é super fácil. A forma mais prática é de trem. Você vai precisar pegar o trem regional, conhecido como RER, linha C. Esse trem passa na estação do Museu D’Orsay, e vai até Versalhes.

A visita custa a partir de €18 euros.

CLIQUE AQUI e agende uma excursão para Versalhes sem fila saindo de Paris »

 Onde  ficar em Paris

Booking.com

 Dicas  para os viajantes de Paris

Ufa, falei demais! Não tem como falar pouco de Paris, pois a cidade é muito grande e repleta de coisas interessantes. Paris é uma daquelas cidades feitas para agradar a todos. É impossível não gostar de Paris.

Fazer uma lista dos pontos turísticos de Paris é uma tarefa complicada, pois muita coisa fica de fora. Além dos pontos que eu citei acima, há muitos outros.

A cidade conta com alguns outros parques muito famosos, como o Bois de Boulogne, o Bois de Vincennes e o Parque Monceau, por exemplo.

Se você tiver tempo, vale a pena visitá-los. Paris é a capital das artes e da cultura, e se tem uma coisa que não falta aqui é museu.

Além dos muitos que eu citei, existem muitos outros:

  • O fantástico Museu Picasso;
  • O teatro – museu Dali,
  • O cheiroso Museu do Perfume,
  • Museu de Cluny e muitos outros.

Restaurantes são muitos e muito variados. A culinária francesa é famosa e super sofisticada. Isso significa que muitos restaurantes são bem caros.

Mas não se preocupe, sempre há alternativas mais em conta. O transporte é ótimo, mas você nem vai querer usá-lo, pois as ruas são tão belas que faz com que o melhor meio de transporte seja caminhar.

Então, é isso. Paris e seus museus, seus palácios e seus monumentos estão à sua espera. Prepare-se para se apaixonar por essa cidade e boa viagem.

 Planeje  sua viagem para Madrid

Após um turbilhão de informações no decorrer desse post, vou te dar a última dica: Em viagem, tempo é dinheiro. Esse ditado pode parecer comum, mas te garanto que nunca fez tanto sentido. Para economizar seu tempo, agrupei todos os sites que sempre utilizo em minhas viagens, Fica Ativo e Planeje-se.

Para planejar uma viagem, começo sempre pela hospedagem. Se for um passeio onde quero aproveitar todas as experiências da cidade, prefiro o Booking, mas quando é uma viagem em família já corro atrás mesmo é do AirBnb.

O seguro viagem para Europa é obrigatório para os países do Espaço Schengen. Apesar da obrigatoriedade ele traz diversas vantagens: cobertura em caso de acidentes, doenças, cuidados médicos, bagagem extraviada, entre outros. Para a cotação eu utilizo o Seguros Promo, ele tem a opção de forma de pagamento no cartão de crédito em até 12 vezes ou no boleto bancário.

#FicaAtivoNoCupom: até o dia 14/12/2020 o Seguros Promo está com uma promoção única de 15% de desconto em todos os planos de seguro viagem usando o cupom BRASIL. Ah! E pagando via boleto bancário você tem mais 5% de desconto.

Para agilizar todo o seu roteiro pela Europa a Omio apresenta em ordem todas as possibilidades de horários de trens, ônibus e aviões, com os seus respectivos valores. Foi disponibilizado para os leitores do #FAV um cupom de desconto de 5€ para utilizar na primeira compra. #FicaAtivoNoCupom: danieg1r6i2v

Ao chegar ao seu destino será necessário chamar um UBER, para isso a America Chip se faz presente com conexão de internet ilimitada em mais de 130 países pelo mundo. #FicaAtivoNoCupom: Utilizando o cupom FICAATIVO você ganha 5% OFF!

Experiência única e exclusiva, sua viagem dificilmente vai ser igual de outro viajante. O aluguel de carro garante essa oportunidade incrível. Através da RentCars você compara os preços entre todas as locadoras.

Para evitar os famosos perrengue chique, eu prefiro fechar todos os meus passeios com antecedência, reservando eles pela nossa parceira GetYourGuide.

O momento em que vou bater o martelo da data da próxima viagem, utilizo o site que encontro os melhores preços e promoções de passagens áreas: Passagens Promo.

A Resolvvi te ajuda a solucionar problemas de voos atrasados, cancelados, overbooking ou perda de conexão. Você só precisa contratá-la quando de fato passar pelo perrengue e só paga se ganhar a ação.

Daniel Gualberto
O desejo de poder sempre viajar e compartilhar minhas dicas com a maior quantidade de pessoas, me levou a entrar no mundo dos blogs e mídias sociais, e um dia ter o Fica Ativo e Viaja (#FAV) como um das mais respeitadas referência em blog de viagens do Brasil.

Post relacionados

Daniel Gualberto

O desejo de poder sempre viajar e compartilhar minhas dicas com a maior quantidade de pessoa!

21FansLike
176FollowersFollow
40FollowersFollow
- Propaganda - spot_img
- Propaganda - spot_img
- Propaganda - spot_img
- Propaganda -
- Propaganda -

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.